5 dicas de organização financeira para pequenas empresas

5 dicas de organização financeira para pequenas empresas

A organização financeira é um dos grandes obstáculos do empreendedor iniciante, afinal, é neste início que o seu negócio precisa de inúmeros investimentos e, ao mesmo tempo, não tem um fluxo de caixa suficiente para cobrir todas as despesas. Para crescer é preciso um planejamento financeiro eficiente, isso é regra importante. Como sabemos que há muitas dúvidas neste momento, queremos ajudar você a organizar as contas da empresa e não correr riscos de ter problemas bem grandes. Neste post deixamos cinco dicas de organização financeira que são curingas para o pequeno empreendedor. Dá para aplicar cada uma delas independente do seu ramo de atuação e fluxo de caixa. Dá uma olhada.

5 dicas de organização financeira para seu negócio

Organizar a vida financeira da sua empresa é possível e um processo mais prático do que parece. As dicas abaixo ajudarão você a manter a educação financeira em dia e não ter problemas com o caixa e o capital de giro ao longo dos meses.

1 – Tenha uma conta bancária PJ

Separar as finanças pessoais das profissionais não é uma obrigatoriedade para o pequeno empresário, mas ajuda bastante no dia a dia da empresa. O objetivo é tornar a geração de relatórios financeiros mais prática, rápida e assertiva. Quando você utiliza apenas uma conta bancária pj para fazer a gestão dos seus gastos pessoais e profissionais, pode acabar movimentando um dinheiro que não pode naquele momento e dificulta o crescimento do negócio. Abra uma conta PJ desde o início da empresa, mesmo que você seja um empreendedor individual. Além de ajudar na gestão correta dos ganhos, a conta empresarial ainda traz uma série de benefícios para você, como cartão de crédito empresarial, linhas de créditos especiais para empresa e taxas bancárias bem mais acessíveis.

2 – Organize-se para o pagamento de impostos

Dependendo do tipo de enquadramento escolhido, os impostos são recolhidos de forma diferente. No entanto, eles precisam ser pagos uma hora ou outra e, sem uma organização financeira, pode faltar dinheiro neste momento tão importante. Caso você seja um MEI, a guia de pagamento dos impostos é gerada automaticamente a cada mês e o valor é sempre o mesmo, o que dá para se programar para o ano inteiro, sem surpresas. Já em outros enquadramentos, há uma variação de valores, que muitas vezes são relacionados ao lucro anual ou a transações de produtos. Nesses casos, mensalmente, guarde o valor atribuído aos impostos em uma conta poupança ou em um caixa separado.

3 – Faça auditoria das suas despesas

Saber para onde o dinheiro está indo é mais que importante para a sustentabilidade de qualquer negócio. Nem sempre, uma empresa que vende muito é lucrativa. Ela pode até gerar uma boa renda, mas se as saídas de caixa são maiores, você fechará o mês no vermelho e pode até acabar com dívidas. Sem a auditoria, também não dá para saber qual o melhor momento para fazer um investimento, seja em maquinários, funcionários ou até na expansão do negócio. A auditoria ainda fornecerá dados importantes para a educação financeira empresarial. A partir dessa análise, dá para saber, por exemplo, se você está tendo muitos gastos com taxas de cartão de crédito, maquininha ou até mesmo da conta bancária. Isso permite que novas soluções sejam buscadas para reduzir gastos.

Leia mais: Livros de educação financeira que você precisa ler!

4 – Tenha um fundo de emergência

Mesmo que não seja uma reserva financeira grande, é importante guardar um dinheiro para situações inesperadas. Um bom exemplo é a pandemia do coronavírus. Algumas empresas conseguiram resistir ao isolamento social, visto que tinha uma reserva para suprir as contas no período de crise. Essa reserva também serve para investir em novos maquinários, pagar rescisão de colaboradores ou qualquer outro débito inesperado.

5 – Não tenha medo de empréstimos

Mas também não abuse deles! Hoje os bancos e financeiras oferecem linhas de créditos consideráveis e que ajudam muito o pequeno empreendedor a crescer Os empréstimos podem até assustar um pouco, mas quando bem administrados eles são bem-vindos e ajudam muito. O segredo é não pensar nesse fluxo como uma saída financeira para o descontrole no fluxo de caixa ou para a má administração do seu capital. Os empréstimos ajudam a enfrentar desafios substanciais, como a compra de equipamentos ou aumentar sua equipe. Você também pode usar os recursos do empréstimo para aumentar seu fluxo de caixa e, assim, enfrentar menos problemas para pagar funcionários e fornecedores em dia.

Conheça a conta PJ Cora

Você viu mais acima que um dos passos importantes para a organização financeira de uma empresa é ter uma conta PJ. Ainda assim, hoje existem bancos com taxas elevadas e soluções que nem sempre funcionam para os pequenos empreendedores. A Cora veio para mudar tudo isso. E mudar de verdade! A sua nova conta PJ é 100% digital, com funcionalidades de fato gratuitas e sem surpresas no extrato no final do mês. São muitas vantagens e ter uma conta Cora, como:

  • boletos bancários gratuitos e ilimitados;
  • recebimento de pagamentos via boleto instantâneos, quando realizados via QR Code;
  • PIX ilimitado e gratuito;
  • transferências via TED ilimitadas e gratuitas;
  • gestor financeiro com mensagens automáticas de cobrança e projeção do fluxo de caixa;
  • cartão empresarial personalizado e sem anuidade;
  • acesso múltiplo para sócios;
  • emissão de boletos parcelados e muito mais.

Você pode abrir a sua conta Cora em poucos minutos e precisa apenas de um celular. É só baixar o aplicativo, preencher o formulário, enviar uma foto dos documentos e aguardar a nossa equipe retornar com a aprovação. Abra a sua conta Cora agora e aproveite todas essas vantagens!

Post Anterior: Quais são as versões do WhatsApp?

Compartilhar