Hora de reformar: 6 dicas para reduzir gastos

Hora de reformar: 6 dicas para reduzir gastos

Seja por motivo estético ou funcional, como a manutenção de algo que quebrou ou a obtenção de mais conforto, reformas sempre são necessárias de tempos em tempos.

O processo todo precisa ser muito bem planejado para poder caber no orçamento sem prejudicar as contas ou comprometer tanto as finanças a ponto de ter que refinanciar a casa, por exemplo. Veja, a seguir, algumas dicas para ajudar a poupar os custos com a reforma.

1.  Planeje

É essencial determinar o que você quer fazer: ampliar um cômodo, consertar algo que quebrou ou mudar a decoração de toda a casa. Depois, avalie se vale a pena contratar os serviços de um escritório de arquitetura, para garantir que tudo saia como deseja, ou a reforma será feita por conta própria.

Se o objetivo da reforma é corrigir um problema ou fazer uma manutenção, a contratação do arquiteto pode não ser necessária. No entanto, caso o plano seja mudar o design dos cômodos, é essencial contar com ajuda especializada.

Para quem vive em apartamento ou condomínio, é importante checar quais são as regras internas antes de iniciar a obra para não correr o risco de levar multa.

2.  Limite o orçamento

Tenha um projeto bem definido do que quer fazer e tente segui-lo à risca. Durante o processo de reforma, podem surgir situações que fazem o dinheiro escoar. Às vezes, descobre-se algo que precisa ser quebrado ou consertado. Em outras, um revestimento moderno pode encarecer a obra.

Acredite: há vários itens legais, mas que não são 100% necessários para o momento. Como exemplos temos lâmpadas com acendimento remoto, fechadura biométrica e até torneiras inteligentes, que são bacanas, mas encarecem o projeto final.

banner-site_natal

3.  Reforme em etapas

Reformar a casa toda pode ser bastante caro, tanto em custo de material, quanto em mão de obra. Sem contar o tempo que leva: parece que o projeto não acaba nunca! Para conseguir organizar os gastos, vendo o processo ter começo, meio e fim, você pode fazer a reforma em etapas.

Isso não significa reformar de qualquer jeito ou apenas remendar. Escolha um cômodo ou um processo por vez e faça-o por completo. Isso pode significar reformar toda a cozinha antes de refazer o banheiro ou trocar o piso da casa toda em um período pré-determinado.

4.  Escolha os profissionais

Uma das tarefas mais difíceis de qualquer reforma é escolher um profissional de confiança para realizar o processo. Esse é um trabalho que exige paciência e muita pesquisa. Toda e qualquer recomendação é bem-vinda, mas você deve ser criterioso na escolha do fornecedor.

Profissionais muito baratos podem acabar saindo caro. Já as empresas que realizam esse tipo de serviço para consumidores também podem dar dor de cabeça. Peça referência, solicite portfólio, pesquise na internet e coloque em contrato tudo o que for negociado para evitar problemas ou quebra do combinado no futuro.

5.  Faça você mesmo

Há processos da reforma que não precisam necessariamente de um profissional. Você mesmo pode, por exemplo, fazer a pintura ou instalar chuveiro, gabinete e vaso sanitário. Com um pouco de jeito, é possível até trocar o rodapé.

Pesquise na internet como fazer alguns serviços de bricolagem, informe-se sobre os passos e coloque a mão na massa para economizar.

6.  Reaproveite materiais

Às vezes, temos alguns materiais em casa que podem ser usados na reforma, porém nunca nos lembramos que eles estão ali, guardadinhos. Lâmpadas, tomadas, pregos e parafusos são alguns desses itens que podem ser reaproveitados, colaborando com a economia de dinheiro na sua obra.