A Oi (OIBR3) inaugurou mais duas usinas solares no Brasil em agosto

A Oi (OIBR3) inaugurou mais duas usinas solares no Brasil em agosto

A Oi (OIBR3) instalou duas novas unidades de geração de energia solar em Goiás e Mato Grosso.

Os parques solares começaram a operar em 02 de setembro de 2021. A revista Veja informa que a empresa tem como objetivo aumentar a demanda dos negócios.

A Oi possui atualmente sete usinas solares no Brasil. No entanto, planeja adicionar mais 32 como parte de sua estratégia ESG.

A inauguração ocorre em um momento delicado: a Tele já estava no radar dos investidores esta semana quando a Anatel abriu uma investigação sobre a venda de sua rede móvel.

banner-site_natal

A Folha de S. Paulo afirmou que devido ao potencial impacto da venda de redes móveis da Oi no cenário competitivo dos concorrentes, o governo encaminhou o caso à Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), que investigará eventuais riscos à ordem econômica.

As operadoras Vivo, Tim (TIMS3) e Claro compraram as redes móveis da Oi em dezembro de 2013 por R $ 16,5 trilhões. Mas, o deputado Elias Vaz do PSB-GO diz que o setor já está monopolizado então a compra dos três concorrentes “concentra o que já está concentrado”. “Isso é, a meu ver, um problema para a sociedade porque é um setor importante na vida das pessoas. Afeta também a questão do monopólio e a formação de cartéis. Fizemos esse protesto formal ao governo porque eles se calaram sobre essa situação”, diz Vaz.

O deputado sugeriu que o Ministério das Comunicações instaurar processo administrativo junto à Anatel para apurar possíveis infrações ao sistema econômico e prejuízos ao usuário que possam decorrer da venda de suas redes móveis pela Oi.

Nathalia Almeida (secretária-adjunta de Telecomunicações), afirmou em ofício que a as preocupações do deputado coincidem com as do governo federal. Ela disse que a preocupação era promover um mercado amplo, livre e justo, competição e livre iniciativa.

Segundo dados do Governo de Goiás, a instalação de energia solar rural em Goiás cresceu exponencialmente nos últimos meses devido aos aumentos constantes das tarifas de energia.